quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Eu já li um nacional


De vez em quando ouço o jargão "temos vários Brasis, dentro do Brasil", sei lá se é possível ser apenas isso. Pelo que tenho visto, temos vários países, dentro do Brasil, inclusive os vários "Brasis". Há um lugar mais rico em diversidade cultural, que dentro do Brasil? Podem até tentar, mas creio que não. Tem gente de tudo que é lugar do mundo, até Etíope, que vivem dizendo que são pobres e morrem de fome, oras, morrendo de fome, temos por aqui também. E olha que são brasileiros mesmo, do chão, da terra, aliás, de onde poucos conseguem levantar os olhos.

Que é que vim fazer por aqui mesmo? Ah, sim! A literatura, nossa, como podia esquecer? Será que ainda estou sob a influência do capitalismo selvagem, que não me permite enxergar nada que não seja "marqueteado", tá rindo né. Pois é, criei este termo agora mesmo, desculpe Senhor Aurélio, mas não resisti, talvez pela minha nova tendência, escritor. Mas vamos ao que interessa, já leu algum escritor internacional? Claro que deve ter lido, aliás, muitos! Não precisa ter vergonha. Como é? Não tem? É, nem deve ter mesmo, sem eles, nada do que direi teria valor. Afinal, como é que se sabe o que é o amor, se nunca viveu algumas paixões.

É isso ai, ter lido livros escritos por autores internacionais, permite-lhe avaliar, com mais propriedade, escritores nacionais. Deve ter lido alguns também, espero. Agora, faço um desafio, leia um livro de um novo autor nacional, sem expressão, mas não qualquer um, gostaria que o fizesse dentre os que conheço. Pode escolher o gênero que mais lhe agrada e depois me diga se não encantou-lhe a alma. É um desafio mesmo! Sabe porque? Confio no que estou lhe dizendo, pois já li diversos nacionais, de novos autores. São pérolas, que aos poucos vão sendo descobertas. E, assim como as pérolas, bastou preparar o caminho.

Entre neste desafio e se desgostar, pelo menos terá argumentos de sobra para fazer um comentário aqui, mandando-me ficar quieto. Claro que não vou ficar, acredite, estou rindo enquanto escrevo. Mas porque tudo isso? Simples, somos sufocados por escritores internacionais, por obras que tratam apenas de sua terra, que enaltecem sua mitologia, seus amores e suas características, mas sei que podemos fazer isso por aqui e, diga-se de passagem, com muito mais paixão. Conhecemos o nosso chão e assim como Luiz Gonzaga, queremos mostrar do que somos capazes.

Engaje-se no movimento, eu já li um nacional.

E a Modo Editora, com a qual trabalhamos diretamente: http://modoeditora.com.br/

Obrigado, por enquanto é só.
J.C.Hesse