sábado, 17 de agosto de 2013

Escreva com respeito


Sei que já escrevi sobre este assunto, mas nunca é demais lembrar "escrever sem amor é apenas produção", nada mais. Adoro ler crônicas, mas algumas são apenas obediência a um contrato. Amo ler livros, mas alguns não passam de um amontoado de palavras. Alguns autores(principalmente os internacionais) vivem no berço esplêndido de seus sucessos anteriores(alguns brasileiros seguem pela mesma linha). Desta forma, na rabeira de seus sucessos, seguem algumas produções que mais parecem refugo de pensamento. Ai me pergunto, para onde foi a paixão, o T... de escrever? Hoje em dia, com a explosão das redes sociais e dos meios de divulgação, até reedição de obras póstumas fazem sucesso, nada contra.

Quando escrevo é como se pudesse olhar o leitor nos olhos, do outro lado de minhas palavras, meu desejo é que ele se torne "interlocutor" e busque respostas às situações que imagino complexas. Quem tem o hábito da leitura consegue perceber quando um texto é apenas para "encher linguiça". Em alguns casos até que fica legal, muito mais pela capacidade do escritor que pela propriedade do texto. Quando escrevemos com a obrigação de entregar algo, tudo fica previsível. Os personagens ficam mecânicos, os cenários não passam de arremedos, dentro de um contexto chato.

Sei que nem todos os textos/livros, vão agradar à todos, gosto é gosto e não se discute. Mas, mesmo não gostando de uma determinada linha literária, é possível ver quando algo foi tratado com amor. Não precisa de linguagem rebuscada, nem de baixo calão, precisa de coesão e clareza. Escrevendo é possível criar toda sorte de personagem, com as mais estranhas personalidades(tenho certeza de que já escrevi isso também). O desejo do leitor é ser capturado em seu gosto, para que sempre deseje algo novo, e bom. Sou leitor também, é quero ler textos e livros que preencham um espaço vazio na minha imaginação, não na estante. Quero lembrar das palavras, dos cenários e dos personagens, quero ser abduzido pela história. 

Assim, reforço a dica, se não houver "o amor", colocado em cada palavra e transportado para cada fala, é lero lero. Sem este comprometimento, a história fica vazia e os personagens sem vida. Quem gosta de escrever, precisa ter além de tudo, coragem(também já escrevi sobre isso), pois os personagens possuem vida literária, e esta está nas mãos do escritor.

Nunca esqueçam, atendam aos contratos, mas foquem no que desejam levar ao público. É assim que leio e é assim que escrevo, com respeito e amor.

*******-------*******-------*******-------*******-------*******-------*******-------*******
Texto e criação do autor J.C.Hesse, especificamente para este blog, ao utilizar este texto, por favor, não se esqueça de mencionar a autoria e a fonte. Meu Twitter: JCHesse Abraços, J.C.Hesse (procure no google)